PM diz que detentos estão armados e se matando em Alcaçuz

Os presos estão armados e se matando”, disse o major Eduardo Franco, da assessoria de comunicação da Polícia Militar do Rio Grande do Norte, sobre a rebelião reiniciada na manhã desta quinta-feira (19) na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta. Um cenário de guerra toma conta da penitenciária. “Está todo mundo armado”, afirmou o major Franco. “A sorte é que eles não estão atirando contra as guaritas, senão teríamos que revidar.” No último sábado (14), a presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários, Vilma Batista, afirmou que homens em um carro se aproximaram do presídio, antes da rebelião, e jogaram armas por cima do muro.

Presos atiram pedras durante um confronto de facções. (Foto: Josemar Gonçalves/Reuters)

 O governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD), anunciou na tarde desta quinta-feira (19) que policiais militares entrarão na Penitenciária de Alcaçuz para separar as duas facções que se enfrentam no local. Segundo ele, os policiais formarão um “paredão humano”. A intenção, diz o governador, é “permitir a construção de uma parede física para separar o PCC do Sindicato do RN”. Os policiais farão uma “corrente humana”, disse. A Polícia Militar confirmou haver mortos depois de um confronto de detentos de facções rivais nesta quinta-feira (19). O número exato não foi divulgado. Entre os feridos estão detentos e também Ivo Freire, diretor da unidade, que se machucou de raspão com estilhaços de um tiro.

A notícia com credibilidade.

Bell Service